Publicado em Brasil Aracaju

Cânion do Xingó – SE


Escrever sobre Canindé de São Francisco é especialmente difícil neste momento. Fui na Páscoa deste ano conhecer nosso Velho Chico e há uma semana houve uma tragédia com um ator tão querido exatamente no mesmo cenário. Relembrei cada momento que passamos no Rio São Francisco, e foram muitos! Então gostaria de dizer que nossos corações estão em oração, pedindo força a família de Domingos Montagner e de Camila Pitanga, pois não consigo imaginar quão duro foi ver um amigo partir desta forma e não conseguir fazer nada para impedir.

Nosso segundo dia no Sergipe começou cedo, antes de 8h a agência Crystal foi nos buscar no hotel para fazermos o passeio no Cânion do Xingo, no município de Canindé de São Francisco. Este passeio geralmente é feito com  um bate e volta – são 3 horas de viagem aproximadamente, porém há possibilidade de fazer uma pernoite ou em Canindé ou em Piranhas, cidade pertencente ao estado de Alagoas, do outro lado do Rio São Francisco. Optamos por fazer a pernoite em Piranhas e vamos mostrar um pouco desta charmosa cidade que fez parte da rota do Império.

Por volta de 10:30h chegamos no Porto onde pegamos um Catamarã onde navegamos pelo Rio São Francisco. Quem faz o circuito bate e volta almoça no restaurante do porto chamado Karrancas, e para adiantar antes de embarcar já deixa tudo pago. Quando fomos tinha muita gente para fazer o passeio – vi muito mais de 15 vans, e por isso é bom adiantar tudo o que puder. Como nós iríamos fazer pernoite por lá, enquanto as pessoas almoçavam iríamos ser levadas até o hotel.

O catamarã é praticamente todo aberto e é muito muito muitooooo quente. Não pode esquecer de levar o protetor solar e um chapéu para se proteger! Na embarcação tem um bar onde é possível comprar água, refrigerante, cervejante, picolé…

dsc00733
Imagem de São Francisco nas margens do rio que leva seu nome
dsc00738
Catamarã Navegando no Velho Chico

O catamarã navega aproximadamente 1 hora até fazer a parada no Cânion onde podemos descer e tomar banho de rio numa área fechada tipo uma piscina que é cercada por rede. Esta piscina é bem funda e por isso entramos com coletes e/ou macarrão de hidroginástica.

dsc00728
Piscina Infantil ao lado do Cânion do Xingó
dsc00710
Piscina de Adulto – Cercada por rede – para entrar é solicitado colete e/ou macarrão – mais de 50m de profundidade

Para quem desejar, há uma opção de andar numa canoa pelo cânion que cobra BRL 5 por pessoa. Eu particularmente achei o Cânion muito pequeno, um percurso muito curto.

20160325_122946
Visão no Cânion

Na volta, como já havia dito o almoço é feito no restaurante Karrancas e há várias lembranças, inclusive personalizadas a venda. Durante todo passeio há fotógrafos disponíveis para fazer fotos.

Uma outra opção de passeio rápido é fazer stand up em frente ao restaurante no rio São Francisco.

Dica: para curtir efetivamente o Rio São Francisco sugiro a pernoite na região. O primeiro motivo é que se você fizer um bate/volta, são quase 7 horas dentro de uma van o que é muito cansativo, o  segundo motivo é que esse passeio costuma ser muito cheio, você ficará num espaço muito pequeno do rio com muita gente,  o que não é muito legal. É possível curtir muito mais a região fazendo outros passeios – o que não quer dizer que este não valha a pena!

Fomos para Piranhas por volta de 15h e nosso próximo post falarei sobre esta cidade super charmosa!

Anúncios
Publicado em Brasil Aracaju

Aracaju – SE


Como disse no post anterior, chegamos em Aracaju de madrugada e pudemos curtir dias inteiros. Começamos nosso roteiro curtindo um pouco o hotel,relaxando na piscina.

Nosso primeiro passeio foi o teleférico de Aracaju. Fomos de táxi até lá, a corrida deu BRL 50. Ele fica distante de Atalaia e não aconselho ir de ônibus. O interessante é ir  de táxi e pedir para o motorista aguardar, pois o teleférico se encontra em um local afastado da cidade. Nosso motorista de táxi subiu conosco no teleférico.

A subida é bem bonita, com muito verde, além da vista para o zoológico (não fomos no zoo). No alto tem uma estátua de Nossa Senhora da Conceição. Devido a todo o verde  por mais alto que seja, não conseguimos ver o mar ou qualquer coisa. Ao redor do alto morro do teleférico tem uma “floresta”, que nos avisaram para não entrar pois estava tendo muitos assaltos (os assaltantes estavam escondidos nas árvores). Nós acabamos entrando na mata pois um policial fez nossa a escolta (havia um grupo de 4 pessoas que estavam lá no momento além de nós 2). A beira do morro é possível ver Barra dos Coqueiros (cidade vizinha) e Aracaju. Andar de teleférico é bem legal, então acho um passeio que vale a pena, sem contar com o preço que é justo – BRL 16. O horário de funcionamento do teleférico é de 9:30 às 16h e não funciona as segundas).  Neste passeio o mais caro é realmente  o táxi.

20160324_102700
Nossa Senhora da Conceição
20160324_103508
Vista após caminhada na mata

20160324_10355320160324_102010

20160324_110221

20160324_105722

Saindo do Teleférico paramos no Mercado Municipal. Nele é possível comprar os artesanatos da cidade, e castanha – pra vários tipos e gostos: salgada, doce, com chocolate,… Me chamou a atenção o preço da castanha de caju: em média BRL 32/kg. Aqui no Rio de Janeiro a mesma castanha é vendida por BRL 65 – então, vale a pena comprar!

Demos várias voltas no mercado, almoçamos no restaurante a kilo que fica encima do mercado, que é bem gostoso, e tem uma vista bacana também.

20160324_124912
Vista do Restaurante – Mercado Municipal de Aracaju

20160324_124846

De lá fomos até o Museu da Gente Sergipana. Que museu encantador! De forma interativa, ele mostra a cultura sergipana e é gratuito!

20160324_135129
Museu da Gente Sergipana

20160324_132704

20160324_134059

O Museu da Gente Sergipana fica próximo ao Mercado Municipal, cerca de 20 minutos caminhando porém confesso que peguei um táxi e custou cerca de BRL 10 (ele fica localizado na rua principal, onde fica o rio, em direção a Atalaia). Atenção que o museu não abre as segundas (horário de 10h as 16h – exceto final de semana e feriado que fecha as 15h – sim também achei estranho final de semana fechar mais cedo!!).

20160324_143722
entrada do museu

Passamos a tarde no museu e quando voltamos para o hotel, nos arrumamos para ir a orla de Atalaia para comer e conhecer o projeto Tamar que também tem uma unidade em Aracaju (o projeto está presente nos estados do RJ, SP, BA, SE, RN, CE). Para quem não conhece, o projeto Tamar luta e atua pela preservação das tartarugas-marinhas ameaçadas de extinção. Em Aracaju há um oceanário do projeto que funciona diariamente das 9h as 21h. A entrada custa BRL 18. O oceanário possui diversos aquários com tartarugas, tubarões, arraias e os mais diversos tipos de peixes. Para conhecer mais sobre o projeto, acesse o site Projeto Tamar.

20160324_173433
Orla de Atalaia
20160324_181010
Oceanário – Projeto Tamar
20160324_181324
Aquário Tartarugas

Depois de visitar o projeto, queria ir comer algo na Passarela do Caranguejo, mas estava tão cansada que comi próximo ao hotel e fui dormir, pois no dia seguinte nossa viagem começaria cedo para Canindé de São Francisco !<3

Publicado em Brasil Aracaju

Sergipe


Nossa aventura por terras sergipanas começou como todas as outras. Uma pesquisa pelo Decolar.com trazia a seguinte promoção: BRL 200 cada trecho. Meus conhecimentos sobre Sergipe eram muito básicos: localizado no nordeste, algumas empresas que eu trabalhei e inclusive a atual tem base lá: leia-se tem petróleo. Mesmo assim não pensei muito, escolhi uma data, liguei para o chefe e pedi 2 dias de folga e comprei.

Passagens compradas para passar a páscoa em Aracaju e a interrogação: o que fazer no Sergipe?

Por sorte a namorado do meu (ex) estagiário (já mudei de empresa!) tem família em Aracaju e me deu contato da Rosangela Santos, guia de turismo que me ajudou muito! Ela trabalha na Crystal Receptivo, uma agência onde comprei os pacotes de passeios. Os passeios podem ser parcelados em 2x. Cada passeio custa cerca de BRL 160.

Nosso roteiro para a Páscoa foi o seguinte:

Dia 0: partida do Rio de Janeiro 23:55 e chegada em Aracaju  2:20 – voo direto pela Gol – o voo de madrugada permitiu que eu não faltasse ao trabalho e que aproveitássemos o dia 1 inteiro em Aracaju – ponto contra: pagamos 1 diária a mais (diária de 23/03)

Dia 1: 24/03: city tour por Aracaju – fizemos por conta própria

20160324_110221

Dia 2: 25/03: Cânion do Xingó – pernoite em Piranhas, Alagoas

20160325_172140

Dia 3: 26/03: Rota do Cangaço

20160326_100305.jpg

Dia 4: 27/03: Praia do Saco

20160327_112501.jpg

Dia 5: 28/03: Foz do Rio São Francisco: nosso passeio foi cancelado na noite anterior porque deu um problema na embarcação. Ficamos triste mas foi bom para curtirmos o hotel e descansarmos. A viagem foi bem cansativa. Fizemos no final de março e o sol nos castigou.

Dia 6: 29/03: Retorno para o Rio de Janeiro: saída de Aracaju 2:50 e  chegado ao Rio de Janeiro 05:08. Mais uma vez optamos pelo voo de madrugada. Aproveitamos o dia 06 até o último minuto e como ponto negativo é o pagamento de mais 1 diária.  Para esta situação é possível não se pagar a diária do dia 28  de março após meio dia e deixar as malas no guarda volumes do hotel, mas optamos por pagar e tomar banho a noite, pois dia 29 eu fui trabalhar e Stephanie foi para aula.

Hospedagem: Passamos uma noite em uma pousada bem simples na cidade de Piranhas, Alagoas às margem do Rio São Francisco. Por ser um feriado, com uma diária quebrada, não conseguimos ficar no mesmo hotel em Aracaju. Ficamos hospedadas em 2 hotéis diferentes em Aracaju: Mercure e Radisson. Os dois são excelentes hotéis e ficam um quarteirão de distância um do outro. O hotel Mercure tem ótimas promoções e é possível conseguir a diária por menos de BRL 200. A diária do hotel Radisson  é em média BRL 350. Como sempre fiz minha reserva pelo site Hoteis.com.

Nos próximos posts iremos dar detalhes de como foi nosso dia a dia.

Boa viagem <3!