México- Veracruz, Xico, Coatepec, Orizaba – 14.09.14

No dia seguinte fui acordada por volta de 7h da manha por um animado grupo do hotel.

10679524_10204051645348668_8276463583954185914_o

O tempo estava chuvoso. Fiz meu primeiro café na varanda da barraca, com café quentinho e depois fui para o café da manhã esquisito com uma conotação portuguesa. Na minha primeira viagem ao México eu estranhei muito o café da manhã: eles comem frijoles (os feijões fritos), guacamole (creminho de abacate), bacon, salsicha, difícil achar pãezinhos, frios e bolos.

10338538_10204051640988559_3052558417099222533_o

Tomei banho e fui para o “refeitório”, porém adivinhe quem eu encontrei no meio do caminho? Um sapo ou perereca ou rã ou sei lá o que! Corri muito!!! Depois fiquei com medo de voltar a barraca, fiquei com medo de entrar na barraca. Quando você vê o animal dá medo mas é ok. Quando você não o vê, dá pânico!!! Ele pode aparecer a qualquer momento. Lá no hotel tem vários cães para espantar sapo :p

Eu tinha agendado um rapel de 25m que fica próximo as instalações do México Verde que seria mais ou menos equivalente a um prédio de 7 andares (já é alto, né?). Mas adivinhem – estava com tanta coragem que pedi para trocar pelo rapel de 85m (um prédio de 25 andares!!!!). O morro para fazer este rappel fica na cidade (ou seria vilarejo??) de Xico. Felizmente fui adotada pela família Rullan/Santaella que me deram muita força. Pensei que não ia sentir tanto medo porque já tinha feito rapel (sim chorei da outra vez que fiz em Itaipava, mas já sabia o que viria, como era se algo saísse errado…), e além disso me pareceu mais seguro porque se acontece algo o instrutor tem mais controle que no rafting por exemplo. Pois bem, coloquei todo o equipamento e quando comecei a treinar os movimentos para descer… tcharannnn: comecei a chorar Não conseguia manipular as cordas para descer ou frear… eu não tinha força. Como era uma altura muito grande, os equipamentos eram diferentes do pequeno rapel que eu havia feito no Brasil.

Foi aí que veio a grande lição do meu instrutor Rafael: podemos fazer tudo o que quisermos, se esta for realmente nossa vontade. Porém as vezes precisamos de uma ajuda. Então ele disse que desceria o primeiro nível comigo (uns 2m). Ainda assim fiquei com medo porque eu realmente não tinha força. Foi então que ele sugeriu que eu descesse pela corda de segurança. O medo ainda existia mas sentia confiança em descer e desci. Lição daquele domingo 14/09/2014: precisamos uns dos outros e se tivermos limitações, com com adaptações podemos chegar aonde quisermos!

O pessoal tirou muita foto minha chorando, mas ninguém me mandou!

As fotos que eu tenho foram as que eu tirei da máquina descartável a prova d’água que eu havia comprado. Agora tenho uma máquina a prova d’água, mas realmente eu não teria como tirar foto minha.

Este era o costão ao lado de onde desci de rapel em Xico.

10687251_10204051696429945_2078324304658936161_o
um pouco antes do rapel

10563077_10204097634058357_6333952026630131156_n

Foi verdadeiramente um grande desafio descer. Caminhamos bastante para voltar mas valeu a pena. Após todos descerem fomos almoçar e experimentei um prato típico mexicano: mole. Mole é um molho de chocolate apimentado que é posto sobre o frango. Comi com arroz vermelho (arroz cozido com tomate/molho de tomate). É bem gostoso. Quando fui a Puebla comprei potes deste molho e trouxe para o Brasil.

10683404_10204051714950408_1505074727222172133_o
Almoço depois do rapel
1977049_10204052510090286_6774944114987489884_n
Mole Poblano que fiz em casa!

Depois do almoço fomos para o Museu do Café localizado em Coatepec. No caminho comprei 2 garrafas de  torito, uma bebida típica da região feita  artesanalmente: aguardente, leite e fruta. Uma delícia. Pude experimentar vários sabores, mas comprei de amendoim e framboesa. Ao longo da viagem comprei tanta coisa que experimentei… Aliás esta foi a primeira e única viagem até hoje que trouxe (na verdade comprei lá) uma mala só de comida! Vou fazer um post destacando apenas as comidas, afinal não só de tacos, nachos e guacamole vivem os mexicanos!

10540674_10204051719630525_8758338807963005348_o

10687996_10204051731510822_3180647454244784037_o

Este museu é bem legal. Vamos a plantação do café e vemos cada um dos passos que o café é submetido até chegar as nossas xícaras – incluindo a parte do ensacamento e armazenagem. É realmente muito interessante.

Chegamos no hotel muito mais tarde do que eu gostaria. Eu já havia feito o check out e iria até Xalapa (ou Jalapa??) pegar um ônibus até Orizaba (a viação ADO faz esse percurso e o preço da passagem é MXN 240), meu próximo destino, onde encontrei meu amigo Oscar Cárdenas para mais um dia de aventura <3.

Cheguei  em Orizaba era mais de meia noite.

Anúncios

Um comentário sobre “México- Veracruz, Xico, Coatepec, Orizaba – 14.09.14

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s