Publicado em Peru

Peru – Lima – Segundo Dia 23/07/2015


Segundo dia em Lima… pensei que fosse conseguir fazer muitas coisas!!!! Só que não foi bem assim!

Acordei super cedo e para confessar todos os dias foram assim no Peru – fiquei presa ao fuso horário do Rio de Janeiro que estava duas horas a frente dos limeños.

No dia anterior eu havia visto que em Miraflores passava aquele ônibus turístico de 2 andares vermelho. Logo pensei… ele deve começar a rodar as 9 horas, vou pegá-lo e conhecerei os principais pontos turísticos. Mas o que aconteceu não foi exatamente isso e vou explicar porquê.

Stephanie queria andar de bicicleta na orla e eu disse que se acordássemos bem cedo poderíamos dar uma volta e as 9h estaríamos prontas para o ônibus turístico. Às 7:30 já estávamos tomando nosso desayuno e não sei exatamente em que momento nos atrasamos. Quando nos demos conta já eram quase 8:30 e ainda estávamos no hotel.

Resolvemos deixar o passeio de bicicleta para outro momento e fomos até o ponto do ônibus turístico na Plaza Kennedy. O ônibus não era como pensávamos… aqueles ônibus que descemos em nossos pontos de interesse e voltamos a pegar um tempo depois. Os ônibus tinham algumas rotas específicas para escolher como vocês podem ver abaixo:

Lima de dia

Lima de noche con Barranco y Chorrillos

Lima de noche con circuito del agua

E alguns outros circuitos… ou seja… não é exatamente a mesma proposta dos ônibus de turismo que já pegamos em algumas cidades que visitamos. Para vocês saberem mais sobre o ônibus e os circuitos, sugiro que visitem a página http://www.mirabusperu.com.

2015-08-09-22-55-22--344729006Q

A rota que ia ao centro histórico saía às 10:30.  Então resolvemos fazer o passeio de bicicleta e retornar mais tarde para este passeio.

Andamos até o Larcomar onde há um quiosque (Mirabici) que aluga bicicleta de diversos tamanhos a PEN 20.

Chegamos por lá ia dar 9:30 e o quiosque só abria as 10h. Fizemos uma caminhadas curtas para passar o tempo e no final o rapaz só conseguiu nos dar a bicicleta as 10:15. Resumo: o passeio no ônibus turístico babou e o passeio de bicicleta venceu.

20150723_120324

20150723_122015

20150723_122115

Depois de 1hora de pedalada e dos planos seguintes dissolvidos tive que começar a reprocessar o que fazer. Alguns taxistas me ofereceram passeios para Pachacamac (complexo arqueológico – PEN 200/250), porém este passeio dura em média 4 horas e eu havia combinado de almoçar com meu amigo Manu por volta de 14h. Não dava tempo. Para saber mais sobre Pachacamac sugiro que visite este site http://www.mysteryperu.com/por/co_lima_pachacamac.html. Como não fui, não sei se vale a pena o investimento.

Investi alguns minutos no meu livro do Peru e pesquisas no google para ver quanto tempo levava para chegar em algumas possibilidades turísticas.

Por fim escolhi ir a Huaca Pucclana pois teria por volta de 2 horas até encontrar com o Manu para o almoço. Huaca Pucclana são ruínas que ficam próximas ao centro de Miraflores. Eu fui achando que chegaria em 10 minutos, visitaria em 1 hora e antes da hora marcada estaria no hotel. Pois bem, gastei 2 horas e meia visitando este sítio arqueológico que fica no meio de uma área residencial da cidade. Não posso dizer que é um lugar fantástico mas desde o momento que virou patrimônio histórico, foi muito bem cuidado. Digo isso porque na visita guiada vocês ficarão sabendo que o sítio até a década de 50 por exemplo era muito maior e parte foi derrubado para expansão da cidade. Neste sítio arqueológico que é datado pelo período de 200 DC a 1000 DC, eram feitos cultos e sacrifícios. O local é bem cuidado e vocês poderam ver como era o trabalho do povo limeño, subir nas pirâmides (que não tem o formato de pirâmide perfeita), ver a plantação de algodão que existia na época, assim como as llamas e o perro (cachorro) pelado do Peru. A visita guiada que eu fui era em espanhol, mas o museu oferece viaita guiada em outras línguas.

Para saber mais sobre Huaca Pucclana, viste o site  Continuar lendo “Peru – Lima – Segundo Dia 23/07/2015”

Anúncios
Publicado em Peru

Peru – Lima – Primeiro Dia 22/07/2015


Nosso primeiro contato com a culinária peruana foi na lanchonete “La Lucha” – http://www.lalucha.com.pe – que sanduíche!!! Primeiro pensei que fosse achar estranho um sanduíche com batata doce – no Peru tudo acaba em batata! Mas qual a surpresa. Achei maravilhoso!! Super recomendo. Há uma La Lucha na Plaza Kennedy ao lado do Starbucks.

la luchala lucha ii

Nosso primeiro dia em Lima começou no La Lucha e em seguida fomos para rodoviária, ou melhor para as agências de ônibus procurar passagem para ir a Ica. Como na semana seguinte era feriado pátrio, não consegui passagem na primeira agência. Aqui no Rio de Janeiro vamos a Rodoviária e procuramos passagem em várias companhias de ônibus. Em Lima não é assim. Cada empresa de ônibus tem sua própria rodoviária e a este lugar denomina-se agência. Não lembro o nome da primeira agência que eu fui, mas  não consegui passagem para o dia que eu queria a Ica (isso foi no dia 22/07 e queria comprar passagem para o dia 24/07).

Na segunda agência que eu fui tinha tanta gente, tanta gente, que o dono da empresa 1001 aqui no Rio/Niterói morreria de inveja. Ficamos aguardando nossa vez de ser atendido (tinha senha!) com meu amigo Manu mais de 1 hora sem saber se conseguiria ou não a passagem. Essa agência chama-se Cruz Del Sur, e consegui comprar a passagem exatamente do jeito que eu tinha planejado. Na sexta-feira, dia 24 de julho eu estava na agência as 06:30 da manhã rumo a Ica. Essa agência tem aplicativo e site http://www.cruzdelsur.com.pe . No post de Ica vou falar sobre o ônibus e preço de passagem.

cruz del sur

Depois de resolvida a questão do primeiro deslocamento de viagem, fomos conhecer o Larcomar.

20150722_18240320150722_18242520150722_18310720150722_182728

Como dissemos na postagem anterior, ficamos hospedadas na Casa Andina Select, localizada na calle Schell. Gostei bastante da localização, pois estávamos próximas da praia/Larcomar, da Plaza Kennedy, da Av Petit Thouars (onde fica o Inka Market) e o Parque Del Amor. Podíamos fazer todos esses roteiros a pé. A loja Ripley fica na Calle Schell e a Saga Falabella na Plaza Kennedy para quem quiser fazer umas comprinhas que não sejam típica do Peru. Na calle Schell tem um supermercado, muitas farmácias e restaurantes próximos, por isso eu recomendo bastante. Porém, se você não estiver disposto a pagar por volta de BRL 350,00 de diária, a versão classic que custa cerca de BRL 250,00 a diária (Av Petit Thouars) e não fica tão longe quanto eu achava pelo mapa.

mapa miraflores

Após o passeio com direito a um chocolate quente com caramelo do Starbucks para espantar o frio, fomos conhecer o Inka Market.

Para finalizar o dia, ou melhor a noite, pegamos um táxi no Inka Market e fomos para o Parque das Águas. O  taxista cobrou PEN 15 para nos levar ao parque e PEN 20 para retornar ao hotel.

Parque das Águas:

Funcionamento: De segunda a domingo e feriados de 06:00 a 13:00 entrada livre (fontes não estão ligadas nesse horário). De quarta a domingo e feriados de 15:00 às 22:30 (Circuito Mágico del Água – Show das Fontes).
Valor do ingresso: PEN 4. Crianças até 4 anos e maiores de 65 anos não pagam.
Horário espetáculo da Fonte de la Fantasia: 19:15, 20:15 e 21:30.
Endereço: Santa Beatriz, Lima 15046.

É possível chegar ao parque através do Metropolitano (BRT) descendo na estação Estádio Nacional (linha que passa na Plaza Kennedy).

20150722_213741

20150722_214230

20150722_215111

20150722_222312

20150722_223954

Publicado em Peru

Lima: a cidade banhada pelo Oceano Pacífico que fica a 150m acima do nível do mar


Nossa primeira parada no Peru foi a porta de entrada aérea da maioria dos turistas: Lima!

Antes de chegarmos a capital, a primeira questão que tivemos foi onde se hospedar. Alguns amigos já haviam falado que o melhor bairro para nos hospedarmos seria Miraflores (eu concordo!) e uns foram mais específicos ainda: próximo a Plaza Kennedy. Eu concordo plenamente com os comentários, mas tenho uma crítica a fazer. Quando eu comecei a procurar hotéis, entrei no google maps para ver a região e achava todos os lugares estranhos. Tive muita dificuldade para escolher o hotel por conta disso. Além disso, achei os hotéis em Lima bem caros. Os hotéis com preços mais em conta tinham comentários negativos sobre o banheiro, quesito super importante em nossa escolha.

Por fim escolhemos a rede Casa Andina – ficamos hospedadas nessa rede em todas as cidades do Peru em que passamos, exceto Ica, pois não havia hotéis dessa rede. Em Lima nos hospedamos na Casa Andina Miraflores Select, que é um hotel intermediário da rede (excelente hotel na minha opinião). Fiz a reserva pelo site http://www.hoteis.com. Para quem não conhece, este site possui um programa de fidelidade chamado  Rewards. Neste programa, a cada 10 diárias em hotéis que participam desta “promoção” você ganha uma diária no valor médio utilizado. A Casa Andina é dividida em 3 categorias: Classic, Select e Private Collection (http://www.casa-andina.com). Quando olhei pela internet a Casa Andina Classic de Miraflores parecia mal localizada, eu teria que atravessar uma Via Expressa para chegar a Plaza Kennedy, fiquei receosa em me hospedar. Após conhecer Miraflores posso dizer que não é mal localizada, fica em frente ao Mercado Inka, um mercado de artesanatos e souveniers.

Ele fica umas 5 quadras mais distantes do shopping Larcomar comparando ao hotel que me hospedei. E falando em Larcomar, ele não é simplesmente um shopping mas um lugar com vista estonteante.

Vista do Lacomar
Vista do Larcomar

Como coloquei no título deste post, Lima fica aproximadamente 150m acima do nível do mar, e esta foto mostra exatamente isso. Entre o mar e a cidade há este paredão de falésias que em minha opinião é o charme da praia, que possui pedras no lugar das areias comumente vistas no Brasil.

Feriado Pátrio:

Talvez esta seja a primeira dica que eu deveria ter dado sobre o Peru: a semana da independência tem muito movimento de turistas: internos e estrangeiros fazendo com que os preços subam: o preço do ônibus intermunicipal não é tabelado e comprar passagem de ônibus nesta data é igual carnaval no Rio de Janeiro para região dos Lagos: muitoooo difícil além de mais caro.

O Peru é um país que respira história e ao longo dos posts sempre que possível colocarei algo relacionado. O dia da independência é 28 de julho e devido a estas festividades não consegui fazer uma das coisas que planejei: voar de parapente em Lima. Os dois dias que fui tentar voar, o céu estava fechado para vôo (dias 27 de julho e 2 de agosto) o que me faz acreditar que eu estava com muito azar!!!

images

UgDCrRpP5XFGF6pyIj61QDet0ip8C4CTsa231Y24XXpoDJDXOOwJgNhFpSudHRal8E0yQ5bF9qXmaIK6peRatF6hyKGurGvkO9LLhbPlGsP_ztC0M1y3_xyjeM55gQxa=w470-h313-nc

Clima:

Acredito que a maior parte das pessoas não saibam, mas em Lima nunca faz sol no inverno (temperatura bem amena, cerca de 18C) – a cidade está sempre nublada devido a um fenômeno meteorológico conhecido como o encontro da corrente de Humboldt (vindo da Antártida através do oceano Pacífico) e o ar quente do continente. Outra coisa própria de Lima é que não chove (essa eu  a-d-o-r-e-i !!!!!). Tem coisa pior que você viajar e chover torrencialmente todos os dias?!? O máximo que vi de chuva em Lima foram umas gotinhas que sequer molharam meus óculos – consequência da umidade do ar.

Transporte:

Um ponto que me frustou em Lima: sou uma pessoa com senso de direção incrível mas mesmo assim não consegui andar de transporte público pela cidade. Lima não possui metrô, o que eles possuem é um sistema semelhante ao BRT, mas que não vai até o centro histórico da cidade. Porém no meu último dia no Peru instruí uma senhora em como chegar a loja Ripley, então me senti mais feliz <3.

Os táxis de Lima não possuem taximetro. Antes de entrar no táxi é interessante combinar o valor com o taxista. Uma boa dica é pedir orientação de preços de corrida no hotel. Um táxi do aeroporto ao bairro de Miraflores custa PEN 50.

Gastronomia no Shopping Larcomar :

Acho que muita gente viu o filme “As aventuras de Paddington”, que fala sobre as aventuras do ursinho peruano (que vivia na Amazônia peruana) em Londres.  Stephanie e eu encontramos com Paddington na entrada do shopping Larcomar!

Paddington inaugurado dia 18 de julho de 2015, 4 dias antes de chegarmos em Lima!

O shopping conta com uma vista de tirar o fôlego, lojas de marcas e uma praça de alimentação com muita variedade.

Os destaques de restaurante sāo:

Tanta (comida peruana)

Batata, frango com maiosene, ovo cozido, abacate e tomate acompanhado de salada
Causa Limeña: Batata, frango com maiosene, ovo cozido, abacate e tomate acompanhado de salada
Canja de Galinha
Canja de Galinha
Raviole de Asado: Bañados en su propio juguito al vino tinto, cremita de mostaza y parmesano

Tony Roma’s (tex mex food)

Delicioso com vista sensacional. Pena que não tirei foto da comida!

La Trattoria di Mambrino: massas e vista sensacionais!

Almoço assistindo esquadrilha da fumaça como uma tradicional família limenha tomando Inka Cola.

20150802_171652